sábado, 12 de agosto de 2017

Reflexos da chegada do metrô ao CAB

Por mais de duas décadas, o Centro Administrativo da Bahia, na Avenida Paralela, teve o sistema de transporte urbano alimentado pelas empresas de ônibus locais, contando inclusive, com linhas horárias, que partiam de diferentes bairros da capital baiana em direção ao Centro Administrativo; boa parte dessas linhas possuíam até 3 horários por dia, já que também serviam como reforço no final do expediente das repartições públicas, partindo do CAB até os bairros de origem das linhas.

No dia 24 de Maio, após a inauguração de mais um trecho da Linha 2 do Metrô, que passa pela Avenida Paralela e fica próximo ao CAB, sem aviso prévio, a Prefeitura Municipal do Salvador retirou todas as linhas horárias que atendiam a região, além do serviço gratuito, que durante anos chegou a ser batizado como "vermelhinho".

Alguns dias após a repercussão do caso, a Prefeitura afirmou em nota que a retirada das linhas foi um pedido do Governo do Estado, alegando interferência na garantia da movimentação financeira do sistema metroviário; mas em contrapartida, o Governo afirmou que em momento algum houve pedido de retirada, e que a Prefeitura consumou a decisão sem quaisquer interferência de terceiros.

Durante os primeiros dias sem as linhas horárias, as repartições públicas localizadas nas 5 Avenidas Odo CAB sofreram as consequências da retirada das linhas; como por exemplo: O atraso daqueles funcionários e estagiários que moram em locais mais afastados como o Subúrbio Ferroviário e região de Cajazeiras. O ocorrido chegou a ser discutido pelos Deputados Estaduais, na Assembléia Legislativa da Bahia - ALBA. Foram discutidas as causas das  mudanças e possíveis soluções que poderiam ser adotadas à curto prazo.

Até que fosse feita uma licitação para concessão do serviço, a empresa Asabela foi contratada para operar em caráter emergencial, com 4 veículos. Diferente do antigo roteiro, a linha deixou de ter como ponto final o antigo Bahia Café Hall, na Paralela e agora passa a circular apenas entre as avenidas do CAB, tendo seu ponto final próximo ao Colégio Bolívar Santana.





Há alguns dias foi feita a licitação para a concessão do que passará a ser o novo serviço "Shuttle Bus", onde a empresa Atlântico Transportes e Turismo (ATT) venceu a licitação por cobrar o menor valor por quilômetro rodado.

A empresa vencedora terá de fornecer 4 veículos com ar condicionado e bancos acolchoados, mantendo a frequência que varia entre 7 e 10 minutos, a depender do horário e demanda de passageiros.